sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Comercio



Governo cria Comissão seguimento de preços de produtos

Bissau, 08 Dez 17 (ANG) – O Ministério de Comércio e Promoção Empresarial (MCPE), atribuiu hoje posse a dezasseis membros da nova Comissão de Acompanhamento e Revisão da Estrutura de Preços dos Produtos da Primeira Necessidade no mercado nacional.

No acto, o ministro da tutela, Victor Mandinga afirmou que os recém-empossados irão trabalhar na preparação de dados estatísticos demonstrativos sobre o comportamento dos preços de arroz e outros produtos básicos.

O ministro implicou as Direcções-gerais das Alfandegas e de Contribuição e Impostos no sentido de debruçarem na analise de estruturas das taxas aplicadas, sobretudo em relação ao arroz, para assim facilitar a nova comissão na sua abordagem.

Aquele responsável, assegurou que concluído os trabalhos o seu pelouro vai debruçar-se nas propostas concretas que serão apresentadas por esta comissão para melhor intervenção do Ministério.

ANG/LLA/ÂC/JAM
       

Dia Internacional dos Direitos Humanos



António Guterres realça importância da Declaração Universal dos Direitos na liberdade e dignidade dos cidadãos

Bissau, 08. Dez. 17 (ANG) – “A Declaração Universal dos Direitos Humanos estabelece a igualdade e a dignidade de cada ser humano e estipula que todos os governos têm o dever central de permitir que todas as pessoas desfrutem de todos os seus direitos e liberdades inalienáveis”.
 
A afirmação é do Secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), na sua mensagem por ocasião da comemoração, no dia dez deste mês, do Dia internacional dos Direitos Humanos.

De acordo com um documento deste organismo internacional que a ANG teve acesso, António Guterres a comemoração, este ano, do Dia dos Direitos Humanos “marca o início de uma celebração de sete décadas desde a adopção de um dos acordos internacionais mais profundos e de maior alcance do mundo”.

“Todos nós temos o direito de falar livremente e participar nas decisões que afectem as nossas vidas. Todos temos o direito de viver livre de todas as formas de discriminação. Temos direito à educação, cuidados de saúde, oportunidades económicas e um padrão de vida decente. Temos direitos de privacidade e justiça”, enfatiza.

E, segundo este responsável da ONU, esses direitos são relevantes para todos os indivíduos em os todos os dias, porque “são o alicerce de sociedades pacíficas e desenvolvimento sustentável”.

António Guterres declarou ainda que desde a proclamação da Declaração Universal em 1948, os direitos humanos têm sido um dos três pilares das Nações Unidas, juntamente com a paz e o desenvolvimento. 

Não obstante, reconhecer que as violações dos direitos humanos não acabou com adopção da DHDH, ela ajudou inúmeras pessoas a ganhar maior liberdade e segurança no mundo.

Entretanto, afirma que apesar destes avanços, os princípios fundamentais da Declaração Universal estão a ser testados em todas as regiões.

“Vemos o aumento da hostilidade em relação aos direitos humanos e aqueles que os defendem por pessoas que desejam lucrar com a exploração e a divisão. Vemos o ódio, intolerância, atrocidades e outros crimes” exemplificou Guterres para acrescentar que essas acções comprometem a todos os indivíduos.

Por fim, para além de reconhecer a acção das entidades e pessoas em prol dos direitos humanos, o Secretário-geral da ONU exorta as “pessoas e os líderes em toda a parte a defender todos os direitos humanos - civis, políticos, económicos, sociais e culturais”, visando “um mundo mais justo, seguro e melhor para todos”.

A data é comemorada para realçar o dia em que a Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou, a 10 de Dezembro de 1948, a Declaração Universal dos Direitos do Homem.
ANG/QC/JAM

Em prol dos carenciados



Proprietário da Farmácia “Moçambique” defende redução de preços de medicamentos

Bissau,08 Dez 17 (ANG) – O proprietário da farmácia “Moçambique” defendeu a redução de preços de venda de medicamentos em prol dos mais carenciados e tendo em conta o agravamento do poder de compra no país.
 
Em entrevista exclusiva à ANG, Ahmed Akhdar aconselhou aos proprietários das farmácias velarem pela qualidade dos fármacos e a redobrarem esforços para melhorar o atendimento aos clientes.

“Actualmente na Guiné-Bissau o poder de compra é muito fraco. É muito dispendioso um paciente comprar determinado medicamento, devido ao preço elevado.

 “Como farmacêutico conheco o sector e aqui atendemos e aconselhamos com dignidade os nossos clientes”, informou tendo realcado o facto da existencia, agora, no país de depósitos de medicamentos para o sector privado autorizado pelo Ministério de Saúde.

“Nós compramos os nossos medicamentos nesses depositos e são de proveniência europeia, nomeadamente, portugal, franca, alemanha entre outros”, explicou.

Instado a dizer de como qualifica o funcionamento das farmácias no país, Akhdar disse que não obstante algumas situações, tem-se notado melhorias em comparação com anos anteriores.

“Devido ao empenho do Ministério de Saúde, as farmácias têm mais aspecto. Apostam mais na formação dos seus agentes e estão a melhorar o atendimento aos seus clientes”, disse.

Confrontado ainda com a situação de muitas farmácias continuarem a vender os medicamentos que não correspondem com as receitas médicas, Ahmed Akhdar informou que isso compete ao governo fiscalizar as farmácias.

“Mas de momento essa prática está a ser combatida paulatinamente devido ao encontro de fiscalização que o Ministério de Saúde fez mensalmente ao nível das farmácias. Outra situação tem a ver com a falta do pessoal qualificado nas farmácias que não sabem interpretar as receitas médicas devido as formas ilegíveis de escrever dos médicos” explicou.
ANG/ÂC/JAM

Crise Política



Coordenador do projecto “Universidade Aberta” preocupado com surgimento de Movimentos de Apoios

Bissau,08 Dez 17 (ANG) - O Coordenador do projecto da Universidade Aberta mostrou-se preocupado com surgimentos de Movimentos de Apoios Políticos que segundo ele sustentam a crise que o país enfrenta há três anos, em proveito próprio.

Citado quinta-feira pela RDN, Inácio Badinca falava num encontro de reflexão sobre os valores morais e éticos, que decorreu sob lema: “ o Papel da Classe Castrense na Consolidação da Paz e Reconstrução da Sociedade”. 

O Coordenador referiu que tais Movimentos estariam a dificultar os esforços de diálogo entre as partes para encontrar uma solução para crise. 

Por isso, Inácio Badinca questionou o porquê do surgimento dos Movimentos de Apoio a “ala A, B e C” se todos almejam apenas a mudanca para melhor do “status quo”? apelau a união de todos para promover uma mudança de mentalidade a bem de todos.

Por outro lado, elogiou a posição assumida pelos militares no actual cenário político, o qual demonstra que, ao contrario das afirmacoes no passado, não são factores de instabilidade política.

Inácio Badinca disse espera que a tropa ira manter-se nesta postura de neutralidade e isencao.

A acção de sensibilizaçaõ da classe canstrence foi realizada no quadro do II ciclo das actividades levados a cabo pelo Projecto da Universiodade de Aberta.
ANG/LPG/ÂC/JAM

Sindicalismo:

Júlio Mendonça eleito Secretário-geral da UNTG

Bissau, 08. Dez. 17 (ANG) – O candidato Júlio Mendonça foi eleito quinta-feira Secretário-geral no quarto Congresso Ordinário da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné, Central Sindical, (UNTG-CS) com 71 votos.
Julio Mendonça

Na segunda posição, esteve o Presidente do Sindicato Democrático dos Professores (SINDEPROF), Laureano Pereira que obteve 61 votos, seguido pelo antigo Presidente do Sindicato dos Fiscalizadores Marítimos, Carlos Nelson Sano, que recolheu 46 votos.

No seu discurso, o novo Secretário-geral agradeceu a confiança nele depositada pelos delegados e prometeu constituir uma equipa forte que vele pelos direitos dos trabalhadores.

“Vamos exigir ao Governo que implemente o memorando de entendimento assinado entre as partes, no qual assume fazer o reajuste salarial na Função Pública”, garantiu.

Na sua intervenção no acto, o segundo mais votado, Laureano Pereira, reconheceu a derrota e afirmou que a eleição do seu adversário constitui uma Victoria para a classe trabalhadora.

Júlio Mendonça (vencedor), licenciado em Direito, é até a data presente assessor jurídico desta maior Central Sindical do país.

Mendonça substitui Estevão Gomes Có no cargo. Neste IV congresso, que teve inicio dia 6, concorreram oito candidatos, entre os quais, o Secretário-geral cessante.
ANG/QC/JAM  

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Reconstrução do Mercado Central



Secretário-geral da Associação dos comerciantes lamenta lentidão das obras

Bissau,07 Dez 17 (ANG) – O Secretário-geral da Associação dos Comerciantes do Marcado Central de Bissau lamentou hoje o que considera de morosidade as obras da reconstrução daquele espaco iniciadas a dois meses.

Em delarações a ANG, Seco Candé disse que as obras ainda não registaram grandes avanços era de se esperar, pelo que pediu que se imprima mais rapidez nos trabalhos.

Contudo, o secretário-gera disse acreditar que os trabalhos serão concluidos na data prevista, ou seja, no prazo acordado entre o governo e a empresa contratada.

Instado sobre se sabe das razões que estariam a obstaculizar as obras, Seco Cande afirmou desconhcece-las, pois, explicou, não recebeu nenhuma justificacão quer da Câmara Municaipal de Bissau ou da Empresa executora da obra.

ANG/LPG/ÂC/JAM 


  

Congresso da Sociedade Civil



Candidato Fodé Mané pede dissolução da Comissão Organizadora

Bissau, 07 Dez 17 (ANG) - O candidato a Presidência do Movimento Nacional da Sociedade Civil, cujo II Congresso Ordinário esta marcado para 16 de Dezembro, Fodé Mané pediu esta quinta-feira a demissão de todos os membros da Comissão Organizadora do referido evento.
 
Em conferencia de imprensa, Fode Mane acusou a Comissão de não ter condições de continuar nas suas funções, porque antes da data do evento magno do MNSC, vão ter que responder à um processo no tribunal.

“A suspensão do Congresso decretada pelo Tribunal ainda está em vigor, porque o processo principal já deu entrada no Tribunal desde 21 de Novembro de 2017, assim sendo quem arrisca vai ter que assumir as consequências”, alertou.

 Mané criticou a Comissão por pretender, a todo o custo, realizar o congresso, por isso justificou esta conferência de imprensa com a necessidade de informar a opinião pública sobre “as irregularidades no concernente a realização do II Congresso de Movimento da Sociedade Civil.

Segundo o candidato, pela própria experiência pessoal, não compete a Comissão e muito menos a Direcção cessante marcar a data de realização do congresso, mas apenas o Conselho Nacional do MNSC.

Fodé Mané é um dos três candidatos a liderança do MNSC, e viu a sua candidatura ser suspensa pela Comissão Organizadora sob a alegação de não reunir as condições exigidas.

ANG/AALS/ÂC/JAM