sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Colômbia


                           Avião acidentado ficou sem combustível

 Bissau, 02 dez 16 (ANG) - As autoridades de aviação da Colômbia confirmaram  quinta-feira que o avião que transportava a equipa brasileira da Chapecoense e que caiu perto do aeroporto em Medellín, provocando 71 mortos, não tinha combustível no momento do impacto.
 
“Podemos garantir com toda a certeza que a aeronave não tinha combustível no momento do impacto e, por isso, foi aberto um processo de inquérito para determinar o motivo”, disse o secretário de Segurança de Aviação Civil (Aerocivil) da Colômbia, Fredy Bonilla.

O avião, da companhia boliviana Lamia, caiu a 17 quilómetros do início da pista do aeroporto José Maria Córdova de Rionegro, que serve Medellín, provocando a morte a 71 dos 77 passageiros e tripulantes. 

A falta de combustível, tal como é referido pelo piloto para a torre de controlo momentos antes da queda, é a hipótese que ganha consistência para explicar o acidente ocorrido em Cerro Gordo, perto de Medellín.

Fredy Bonilla lembrou que as normas internacionais exigem que uma aeronave tenha combustível suficiente para cobrir a rota e possua uma reserva adicional para aterrar, se necessário, num aeroporto alternativo.

 Enquanto isso, o director do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses da Colômbia, Carlos Eduardo Valdes, disse que já foram identificados 59 corpos, sendo 52 brasileiros, cinco bolivianos, um paraguaio e um venezuelano. 

A Chapecoense ia disputar a primeira mão da final da Taça Sul-americana com os colombianos do Atlético Nacional, em Medellín, mas, na madrugada de terça-feira, em Cerro Gordo, na Colômbia, o avião em que seguia despenhou-se.

Entre as 71 vítimas, estão 22 jogadores do clube brasileiro, 22 dirigentes, membros da equipa técnica e convidados, 22 jornalistas e nove tripulantes, tendo sobrevivido seis pessoas, três jogadores, dois tripulantes e um jornalista.

Os jogos do campeonato alemão de futebol do próximo fim-de-semana vão ser antecedidos de um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do acidente de avião em que seguia a equipa brasileira da Chapecoense, anunciou a liga germânica.

“O futebol profissional alemão vai render homenagem às vítimas do acidente de aviação na Colômbia com um minuto de silêncio e braçadeiras de luto em todos os jogos da primeira e da segunda divisão este fim-de-semana”, lê-se no site oficial da Bundesliga.


“Nós desejamos exprimir a nossa compaixão e as nossas condolências aos mais chegados às vítimas, aos sobreviventes e ao futebol brasileiro”, acrescenta o comunicado. Em Portugal, também se fará um minuto de silêncio nos jogos da I Liga.
ANG/JA

Insegurança alimentar

    Mais de 30 por cento de agregados familiares afectados nas zonas rurais

Bissau,02 Dez 16 (ANG) – Mais de trinta por cento de agregados familiar nas zonais rurais em quase todas as regiões inqueridos do país, com exceção da região de Bolama-Bijagós, se encontram em situação de insegurança alimentar.  
 
A informação constam de um comunicado conjunto do Programa Alimentar Mundial (PAM) e o Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento Rural (MADR) sobre  a situação da segurança alimentar e nutricional no país.

O documento refere que as taxas de insegurança alimentar estão mais elevadas nas regiões de Cacheu- 40,8 por cento, Gabu- 35 por cento e Oio- 32 por cento.

De acordo com o comunicado, o inquérito foi realizado entre 05 e 24 de Setembro do corrente ano, com uma amostra de 3173 agregados, o correspondente a cerca de 331.745 de pessoas.

Diz a nota que Pelo menos 87,7por cento das crianças de 6 a 59 meses (151.705) têm uma boa situação nutricional, 61 por cento (10 317 crianças) estão numa situação de desnutrição aguda moderada e que 4,2 por cento (7 .103 crianças) sofrem de desnutrição severa.

Perante esta realidade, recomenda-se as autoridades nacionais e aos parceiros o fornecimento de assistência alimentar para mais de 46 mil pessoas que estão em dificuldade de nutrição, sobretudo nas regiões de Cacheu, Gabu e Oio.

O documento aponta para a necessidade de ajuda alimentar e sanitária à 17 .420 crianças que sofrem de desnutrição aguda, em particular na região de Oio, de apoio aos agregados em materiais agrícolas e no acesso aos insumos como semente, e  equipamentos agrícolas. 

A nota refere  que é preciso aumentar centros de saúde e o número dos agentes comunitários para  cuidar das crianças desnutridas e recomenda  aos parceiros a compra de produtos locais, para abastecer as cantinas escolares ao nível nacional, e apoiar ao governo na implementação das acções de nutrição para melhorar  o quadro das crianças desnutridas.

O inquérito foi realizado no quadro das actividades do Sistema de Seguimento da Segurança Alimentar e Nutricional (SISSAN),implementado pelo PAM em parceria com MADR através da Secretaria de Estado da Segurança Alimentar.
ANG/LPG/JAM/SG

CAN 2017


                       Baciro Cande divulga lista de  35 pré-convocados

Bissau, 02 Dez 16 (ANG) - O Selecionador nacional Baciro Candé divulgou hoje a lista dos 35 jogadores pré-convocados para o Can 2017, a disputar no Gabão de 14 de Janeiro a 05 de Fevereiro , onde  a turma guineense marcará a sua primeira presença.

Segundo o  site “O Golo-GB”, na lista  divulgada constam o nome de três guarda-redes, nove defesas, sete médios e 16 avançados.

Eis a lista completa: Guarda-redes, Jonas Mendes(Salgueiros) PT
Edouard Mendy (State de Rems ) FR, Papa Masse Nbaye Fall (Costa Dulce) ES.
 
Defesas: Emmanuel Mendy (F.C. Ceahlaul) ROM, Mama Samba Baldé (SCP) PT, Eliseu Mendja Nadjack Soares Cassamá (RIO AVE) PT
Rudinilson Gomes Brito Silva (Lechia Gdansk) ROM, Juary Martinho Soares (Mafra) PT, Formose Jean Pierre Mendy (Redstar 93) FR,Eridson MendesUmpeça (Freamunde) PT,Agostinho Soares "Nconco" ( S.C. Covilhã) PT,Mamadu Candé (C.D.Tondela) PT.

Médios: Nanísio Justino Mendes Soares (F.C. Felgueiras) PT, Bocundji Cá (Paris FC) FR, José Luis Mendes Lopes Zezinho (Levadiakos) GR
Judilson Mamadu Tuncara Gomes (Benfica B) PT, Francisco Santos da Silva Júnior (Stromsgodset) NOR, Jean Paul Mendy (US Quevilly-Rouen) FR
Sene Dabo (Operário Lagoa) PT.
 
Avançados:, Idrissa Camará (Avellino) IT, José Correia "Turbo" (C.D.TONDELA ) PT, Piqueti Djassi (S.C.Braga-B ) PT, Toni Silva (Levadiakos ) GR, Yazalde Gomes Pinto(Rio Ave) PT, Leocísio Júlio Sami (akhisar) TR, Aldair Baldé (Olhanense) PT, Abel Issa Camara (Belenenses) PT, Fredric Mendy (Ulsay Hyunday) Cor. Sul, Cícero Semedo (Paços de Ferreira ) PT, Bruno Preira (Colomiers US) FR, Gutwaldo Olsen Funny Alves Almada (Real) PT, João Mário Nunes Fernandes (G.D. Chaves) PT, Edelino Miguel Ié (Braga-B), Buomesca Tué Na Bangna (AEL Limassol) CHP e Lassana Camará (AC.Viseu) PT.  
ANG/O Golo-GB

Caso Orlando Viegas


Antigo Director-geral dos Portos de Bissau entre os condenados a seis anos de prisão efectiva
  
Bissau, 02 Dez. 16 (ANG) – O antigo Director-Geral da Administração dos Portos da Guiné-Bissau (APGB), Augusto Cabi está entre as quatro pessoas condenadas quinta-feira pelo Tribunal Regional de Bissau a 6 anos de prisão efectiva e multa de 35 milhões de francos Cfa cada pelo espancamento do ex. secretário de Estado dos Transportes e Comunicações no Governo de Transição, Orlando Viegas.
Orlando Mendes Viegas
De acordo com a sentença proferida pelo Tribunal Regional de Bissau, Augusto Cabi e mais três dos envolvidos no caso foram acusados de crime de ofensas corporais contra o dirigente do PRS, maior partido na oposição.
A saída do tribunal o advogado do ex. Director Geral da APGB, Armando Mango disse discordar com a decisão da justiça, alegando falta de provas.
Armando Mango declarou que que vai recorrer da sentença.
“O tribunal condenou ao meu cliente à seis anos e seis meses de prisão efectiva. Nós discordamos veementemente com essa decisão da justiça uma vez que não houve nenhuma prova sobre a implicação do Augusto Cabi nas ofensas corporais que terá sofrido o Orlando Mendes Viegas”, disse tendo considerado o acto de “grande injustiça”.
Alex Bassuco advogado de Armando Incada um dos arguidos absolvido  congratulou-se com a decisão daquela instância judicial, salientando que a deliberação mostra claro que o tribunal não consegue provar nada em relação a ele, tendo salientando que na sua opinião todos deviam ser absolvidos.
Por seu lado,Basílio Sanca, advogado de Orlando Mendes Viegas disse não estar de acordo com a sentença porque esperava mais do tribunal, tendo em conta a gravidade da situação, uma vez que a acçao chocou toda a sociedade e denegriu a imagem das  instituições públicas, pelo que os culpados deviam merecer penas mais pesadas.~
Basilio Sanca salientou contudo que ficou um exemplo de que a sociedade deve ser disciplinada.
Orlando Mendes Viegas, na qualidade de  Secretario de Estado dos Transportes e Comunicações foi  violentado a caminho de sua residência  pelo grupo agora condenado, por razões pouco conhecidas mas que se acredita estarem relacionadas as reformas que decidiu implementar ao nível da administração dos portos de Bissau.
Em consequência do espancamento  de que fora alvo, Mendes Viegas, secretário de Estado do Tesouro, no demitido governo liderado por Baciro Djá,  teve mesmo que ser evacuado para tratamento médico no estrangeiro.
ANG/Rádio Jovem

Acordo de Conakry

“CEDEAO vai convidar Presidente da ANP para divulgar o conteúdo do
documento”, diz Simões Pereira
Bissau, 2 Dez 16 (ANG) - O Mediador da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) pretende convidar o Presidente da Assembleia Nacional (ANP), Cipriano Cassamá para, acompanhado dos líderes das bancadas parlamentares,  divulgar o conteúdo do acordo de Conacri.
A informacao foi divulgado pelo Presidente do PAIGC, Domingos Simoes Pereira numa longa entrevista concedida ao semnário "O Democrata" na sua última edição.
“Isso nós sabemos. Sabemos também que o mediador prepara-se para, na próxima Cimeira de Chefes dos Estados da CEDEAO, tornar público o documento”, salientou o líder do PAIGC.
Questionado sobre o problema dos deputados expulsos do PAIGC e conhecidos pelos "15", Domingos Simões Pereira sublinhou que se trata de uma falsa questão, mas que se tornou na solução que o Presidente da República encontrou para justificar a oposição ao seu governo.
O Presidente do PAIGC disse que José Mário Vaz tentou muita coisa, começou por dizer que "a unanimidade mata a democracia", invocando que não era normal o PAIGC ter o entendimento que tinha com o PRS.
“Invocou muitas coisas, invocou a corrupção e, foi tentando muita coisa até chegar aos 15. Os quinze acabaram por servir os propósitos do Presidente da República”, explicou.
Aquele político explicou que o grande momento e elemento de ruptura entre ele e o deputado Braima Camara, foi a questão do FUNPI que a Câmara do Comércio Indústria, Agricultura e Serviços (CCIAS) considerava que tinha direito exclusivo, por se tratar de uma taxa paga pelos empresários.
Eu tenho uma percepção completamente oposta. O FUNPI não é uma taxa, o FUNPI é um imposto, sendo um imposto, a única entidade que tem competência para o cobrar num país é o Estado", esclareceu.
O líder do PAIGC sublinhou que estão a falar de o Estado entregar a um, dois ou três elementos do setor privado, valores extraordinários, salientando que estão a falar de os elementos do setor privado tirarem por mês qualquer coisa como três a quatro mil milhões de francos CFA, que depois nao justificam o seu uso.
Disse que estão a falar não só da taxa de exportação da castanha de cajú, como também de exportação de outros produtos e de taxa de importação de produtos alimentares.

Domingos Simões Pereira questionou do porquê é que, enquanto cidadãos, não devemos apresentar contas a todos? e adiantou que ele, enquanto Primeiro-ministro, foi alvo de acusação de muita coisa. No entanto, informou ter solicitado provas de tudo, mas os autores até agora nao o fizeram.
“Da mesma forma, eu pedi que as pessoas que geriram os fundos de proveniência pública que também apresentassem (as suas contas). Porque é que isso tinha de ser razão de conflito direto entre uns e outros? O dinheiro é de nós todos, porque é que tinha que ser gerido por uns e não por outros?”, questionou.
ANG/O Democrata

Sociedade civil


    Lançada quinzena de promoção dos direitos humanos na Guiné-Bissau
Bissau,02 Dez 16 (ANG) - As organizações da sociedade civil da Guiné-Bissau lançaram quinta-feira uma quinzena dos direitos humanos, no momento em que acusam as autoridades de proibirem manifestações dos cidadãos.
Miguel de Barros
Miguel de Barros, dirigente da associação Tiniguena, membro do consórcio das organizações que lutam pela promoção dos direitos humanos na Guiné-Bissau, disse à Lusa ser importante alertar e mobilizar a sociedade sobre o nível do desrespeito dos direitos dos cidadãos consagrados na Constituição.
Barros citou o facto de atualmente os cidadãos serem impedidos de se manifestarem contra a classe política por ordens do Governo, sem que tenha sido declarado o estado de sítio ou de emergência no país.
“Estamos a vivenciar aquilo que é a morte lenta do cidadão guineense porque naquilo que é o básico não tem havido respostas conducentes e eficazes do Estado”, em garantir o direito à vida, declarou Miguel Barros, em nome de mais de duas dezenas de organizações que operam na promoção dos direitos humanos na Guiné-Bissau - e que estão associadas à programação da quinzena.
Em representação do governo demissionário, o ministro da Justiça, Olundo Mendes, disse compreender o papel das organizações que atuam no campo dos direitos humanos e prontificou-se em “estar na linha da frente” na defesa dos direitos e liberdades dos cidadãos.
Miguel de Barros agradece a disponibilidade do governante, mas reforçou que “mais do que as vontades individuais” dos responsáveis políticos, todos os cidadãos “devem ter uma ação cívica” em prol da promoção dos direitos humanos e desta forma levar o Estado a assumir a sua responsabilidade.
A cooperação portuguesa é uma das organizações associadas à quinzena dos direitos humanos na Guiné-Bissau.
Fábio Sousa, representante do Camões-Instituto da Cooperação e da Língua, em Bissau, considerou que vai  “permitir a visibilidade” do trabalho que tem sido feito pelos cidadãos em prol dos seus direitos.
Há três anos que a cooperação portuguesa tem vindo a juntar-se à iniciativa uma vez que a promoção dos direitos humanos reflete-se na visão estabelecida no Plano Estratégico de Cooperação, assinado em 2015, entre os governos de Lisboa e Bissau, indicou Fábio Sousa.
Durante os próximos quinze dias, várias iniciativas de promoção e divulgação dos direitos humanos serão levadas a cabo em Bissau, na Casa dos Direitos, Centro Cultural Português, passando por outros locais e também na emissão das estações de rádio.
ANG/Lusa

Solidariedade


Mulheres do APU/ PDG oferecem lanche  à crianças internadas no Hospital Simão Mendes

Bissau, 02 Dez 16 ( ANG) – A organização das mulheres do partido   Assembleia do Povo Partido Democrático Guineense (APU/ PDG) ofereceu  lanche quinta-feira  às crianças doentes internadas na Pediatria do Hospital Nacional Simão Mendes.

Citada pela Rádio Sol Mansi, a Secretária Nacional da Organização das Mulheres da Assembleia  Unido do PovoAlanan António Tambá disse que a iniciativa  visa apoiar   sobretudo as crianças doentes internadas no Hospital Simão Mendes e também  pessoas que não têm oportunidade de ir assistir  as festividades do aniversario daquele partido na oposição. 
 
A oferta de lanche as crianças internadas se inscreve nas comemorações do 2º aniversario da  Assembleia Unido do Povo partido Democrático Guineenses. 

Alanan  Tambá agradeceu a Direcção do Hospital Nacional Simão Mendes  pelo acolhimento reservado ao gesto a favor de crianças doentes internadas no principal hospital do pais.
 
A segunda secretaria da organização feminina da APU/PDG, Balanteia Okika de Sá  realçou  que  os meninos  não devem ser  esquecidos, porque fazem parte da “nossa sociedade”. 

Balanteia  de Sá desejou rápida recuperação a todas as crianças internadas na pediatria.
Por sua vez, a Directora da pediatria do Hospital Nacional Simão Mendes Nádia Mendes felicitou ao partido liderado por Nuno Gomes Nabiam e agradeceu a oferta de lanche fazendo votos para que  mais vezes se repetisse no futuro noutros hospitais do pais. ANG/PFC/SG       

Política


                            Sissoco negoceia a formação do Governo

Bissau, 01 Dez 16 (ANG) - O novo primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, disse que vai fazer  de tudo para convencer os partidos a participarem no seu Governo, mas caso não seja possível vai avançar com a nova equipa governamental nos próximos dias.

Três das cinco formações políticas que compõem o Parlamento da Guiné-Bissau, Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Partido da Convergência Democrática (PCD) e União para Mudança (UM), recusam-se a fazer parte do Governo, que pretende ser de inclusão para tirar o país da crise política em que se encontra há 15 meses.

 Os três partidos não concordaram com o nome de Sissoco Embaló, um general na reserva de 44 anos, proposto pelo Chefe de Estado guineense, José Mário Vaz, como primeiro-ministro.

De regresso de uma viagem de trabalho de algumas horas à Libéria na terça-feira, o primeiro-ministro guineense disse ter sido aconselhado pela líder liberiana, Ellen Johnson Sirleaf, a convencer os demais partidos a integrarem o seu Governo. 
 
Johnson é a actual presidente em exercício da Conferência de Chefes de Estado da Comunidade de Estados da África Ocidental (Cedeao), que tem tentado levar os líderes políticos guineenses a um entendimento para acabar com a crise no país.

O novo primeiro-ministro guineense afirmou ter tido uma conversa de mais de duas horas com a Presidente da Libéria e, a partir de agora, vai pôr em prática os conselhos que recebeu no sentido de tentar convencer sobretudo o PAIGC a integrar o Governo.

O PAIGC é o vencedor das últimas eleições legislativas na Guiné-Bissau, mas tem estado arredado do poder devido a uma crise interna e de desentendimento com o Chefe de Estado. 

Em declarações aos jornalistas que acompanharam o primeiro-ministro guineense, Ellen Johnson, exortou Umaro Sissoco Embaló no sentido de envolver o chamado P5, espaço de concertação entre os representantes da ONU, União Europeia, União Africana, Comunidade de Países de Língua Portuguesa e Cedeao, em Bissau, na busca de diálogo com o PAIGC.

Sissoco Embaló prometeu acatar o conselho, mas avisou que vai avançar com a sua equipa governamental caso persista a recusa do PAIGC em integrar o novo Executivo.
ANG/Inforpress

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Óbito


Restos mortais da deputada Buscardini foram hoje a enterrar no cemitério municipal de Bissau

 Bissau, 01 Dez 16 (ANG) – Os restos mortais da deputada do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) Isabel Buscardini foram hoje a enterrar no cemitério municipal de Bissau.
 
As exéquias fúnebres da malograda decorreu no salão nobre do Ministério da Justiça, com honras do Estado e foram presidida pelo Presidente da República, José Mário Vaz, na presença de familiares, amigos, colegas e conhecidos.

A mensagem fúnebre foi lida pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, da Cooperação Internacional e das Comunidades, Suares Sambo, tendo lamentado o desaparecimento físico da Isabel Buscardini, combatente da liberdade da Pátria.

A malograda desempenhou vários cargos em órgãos da soberania nomeadamente no governo e na Assembleia Nacional Popular.
ANG/LPG/SG

Saúde Pública

                ONG IPHD lança novos programas de apoio ao sector

Bissau,01 Dez 16(ANG) – A Ong americana Parceria Internacional para o Desenvolvimento Humano(IPHD) vai lançar, a partir de Janeiro  próximo,  novos projectos de apoio ao sector de saúde na Guiné-Bissau.
Augusto Braima de Sá

Em entrevista exclusiva à ANG, o representante desta ONG na Guiné-Bissau, Augusto Braima de Sá afirmou que os referidos programas consistem em apoiar ao sector de saúde, no domínio de capacitação e especialização dos técnicos, fornecimentos de materiais hospitalares, continuidade de estudos de larga dimensão na área nutricional nas regiões de Cacheu e Oio, entre outros.

Abordado sobre que apoios tem prestado ao Ministério de Saúde para colmatar a elevada taxa de mortalidade materna infantil, o representante da ONG IPHD respondeu que ela tem a ver com vários factores, dentre eles, a falta de boa qualidade de alimentação das mães durante a gravidez, o que não ajuda na formação da criança, e nos seus primeiros tempos de vida.

“Se não for o caso e se as crianças continuarem a não ter boa alimentação e não beneficiar de cuidados básicos de saúde acabam por falecer ou deparar-se com uma vida muito mais difícil” explicou.

O representante da IPHD anunciou a vinda de  mais tecnicos americanos no proximo ano para reforcar as execuçao das accoes da ONG levadas a cabo em parceria com o Ministerio da Saúde.

Instado a fazer o balanco  das actividades levadas a cabo pela Ong IPHD durante o ano em curso, Augusto Braima de Sá disse que não tem sido bom em comparação com os tempos anteriores devido aos diversos obstáculos deparados no processo das suas execuções.

“As referidas dificuldades têm a ver com a instabilidade política do país, incumprimento dos acordos assinados com o governo, o que tera desmotivado  os parceiros, que se vêem sem interlocutor seguro”, vincou.

Aquele responsável frisou que a Ong IPHD tinha diversos programas para implementar nomeadamente, a reparação e acabamento de algumas escolas nas regiões do sul do país, inicio de estudos sobre nutrição de maês e crianças   na região de Oio e Cacheu o que será alargado e concluído no próximo ano.

Augusto  Sá sublinhou que a IPHD está vocacionada para a luta de erradicação da pobreza junto das comunidades e que abranje as mães, crianças principlamente.

“Penso que as políticas existentes no domínio da protecção da maês e crianças devem ser postas na prática tendo em conta que são as camadas mais vulneráveis da sociedade”, afirmou.   
ANG/ÂC/SG