quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Caso Vazadouro de Djogró



Ministro do Ambiente reitera empenho do governo para a reciclagem de lixos urbanos

Bissau,20 Set 17(ANG) – O ministro do Ambiente e Desenvolvimento Sustentávle, afirmou que o governo está empenhado na criação de parcerias com  empresas que vão reciclar lixos da capital principalmente do vazadouro de djogró.
Vista do vazadouro de Djogró

António Serifo Embaló, em declarações à ANG, disse que os lixos do vazadouro de Djogró podem trazer dinheiros para os cofres de Estado se forem reciclados e aproveitados para outros fins.

“A situação de vazadouro de Djogró foi uma das minhas primeiras preocupações, quando fui nomeado ministro do Ambiente. Porque, como cidadão sou igualmente produtor de lixo e por isso devem ser criadas as condições para o tratamento do lixo urbano”, referiu.

O titular da pasta do Ambiente sublinhou que abordou a Câmara Municipal de Bissau sobre a situação de vazadouro de djogró,  e foi-lhe informado que a edilidade já dispõe de um espaço para a construção de novo vazadouro de lixo.

Segundo o Director Adjunto dos Serviços de Doenças Transmissíveis e não Transmissíveis, Ivangelino Quadé, o vazadouro de Djogró constitui um perigo para a saúde humana.

 “O fumo de lixos queimados no vazadouro pode desencadear doenças asmáticas, bronquite e problemas pulmonares nas populações circundantes”, disse Quadé em declarações a ANG.

 Ivangelino Quadé prometeu diligenciar junto da CMB para estancar a situação o mais depressa possível. ANG/ÂC/SG


México/Sismo



 Equipas de salvamento e voluntários escavam escombros, pelo menos 248 mortos

Bissau, 20 Set 17 (ANG) – Equipas de salvamento e voluntários procuram sobreviventes nos escombros dos edifícios de apartamentos e escolas que ruíram durante a noite, no mais mortal sismo no México desde 1985 e que provocou pelo menos 248 mortos.

Adicionando um toque amargo e surreal, o terramoto de magnitude 7,1 de terça-feira ocorreu no 32.º aniversário do sismo que matou milhares de pessoas e chegou apenas duas horas depois dos simulacros de abalos realizados em todo o México para assinalar a data.

Um dos esforços de resgate mais desesperados foi numa escola primária e secundária no sul da Cidade do México, onde uma ala do edifício de três andares colapsou. Os jornalistas ainda viram os socorristas tirar alguns pequenos corpos dos escombros.

O Departamento de Educação federal revelou no final da noite de terça-feira que 25 corpos foram retirados dos destroços da escola.

Não ficou claro se as mortes foram incluídas no número total de 248 mortes relatadas pela agência federal de defesa civil.

Durante uma visita ao local no início da noite, o presidente Enrique Peña Nieto disse que 22 corpos tinham sido retirados e as autoridades falaram de 30 crianças e oito adultos desaparecidos.

Uma mistura de voluntários do bairro, policiais e bombeiros usavam cachorros treinados e as mãos nuas para procurar nos escombros da escola. Uma multidão de pais ansiosos aguardava fora dos portões e houve relatos de que pelo menos duas famílias receberam mensagens de Whatsapp de meninas presas no interior, mas tal não foi confirmado.

O esforço de resgate continuou durante a noite, com o trabalho pontuado por gritos de “silêncio”, para que as equipas pudessem escutar quaisquer pedidos de ajuda.
“Eles ouviram vozes ali”, disse Peña Nieto.

Os socorristas tiveram que reforçar as lajes de cimento caídas com vigas de madeira para que não caíssem mais e acabassem com os pequenos espaços de ar que restavam.

Numa uma mensagem de vídeo divulgada no final do dia de terça-feira, Peña Nieto Pediu à população para permanecer calma, acrescentando que as autoridades estavam a fazer tudo para fazer chegar ajuda a todos, pois 40% da Cidade do México e 60% do estado próximo de Morelos estavam sem energia.

Mas, disse, “a prioridade agora é continuar a resgatar pessoas presas nos escombros e prestar ajuda médica aos feridos”.

As pessoas na zona central do México já se reuniram para ajudar os vizinhos, pois dezenas de edifícios caíram e se transformaram em montes de escombros.

O prefeito da Cidade do México, Miguel Angel Mancera, disse que caíram edifícios em 44 locais na capital, enquanto outros altos prédios da cidade balançavam, ao mesmo tempo que centenas de milhares de pessoas em pânico saíram para as ruas, bloqueando o trânsito.

Coberto de poeira e exausto de cavar, Carlos Mendoza, 30 anos, disse que, num período de três horas de buscas, duas pessoas foram puxadas vivas das ruínas de um edifício de apartamentos em colapso no bairro de Roma Sur.

A alguns prédios de distância, Alma Gonzalez estava no seu apartamento do quarto andar quando o tremor de terra fez colapsar o piso térreo do edifício, deixando-a sem saída. Alma descreveu depois os momentos seguintes, em que vizinhos montaram uma escada no telhado e a ajudaram a escorregar por uma janela lateral.

Ela disse que estava aterrorizada até que as pessoas que moravam na casa vizinha montassem uma escada no telhado e a ajudassem a escorregar uma janela lateral.
O prefeito da Cidade do México diz que 50 a 60 pessoas foram resgatadas vivas por cidadãos e por pessoal dos serviços de emergência.

A agência nacional de defesa civil informou no início do dia de hoje que o número de mortos confirmados havia subido para 248, mais da metade na capital.

Na sua conta oficial do Twitter, o chefe da agência, Luis Felipe Puente, informou que 117 mortos foram confirmados na Cidade do México e 72 no estado de Morelos, que fica a sul da capital.

Acrescentou que 43 mortos foram registados no estado de Puebla. Doze outras vítimas mortais foram registadas no estado do México, que rodeia a Cidade do México e três no estado de Guerrero.

O epicentro do sismo, que ocorreu na terça-feira às 13:14 (16:14 de Bissau), foi registado na fronteira do estado de Puebla e Morelos (centro), a 51 quilómetros de profundidade, segundo o centro geológico norte-americano USGS.

O terramoto ocorreu depois de na semana passada (07 de setembro) um sismo de magnitude 8,2 – o mais forte desde 1932 –, ter causado 98 mortos no sul do país: 78 em Oaxaca, 16 em Chiapas e quatro em Tabasco.

O abalo de terça-feira, que causou o pânico na população, coincidiu com o 32.º aniversário do forte sismo que provocou milhares de mortos em 1985 e foi registado apenas duas horas depois de um simulacro de terramoto em todo o país.
ANG/Inforpress/Lusa

Angola



Presidente da República convidado a participar na investidura do novo chefe de Estado

Bissau,20 Set 17 (ANG) – O embaixador plenipotenciário de Angola na Guiné-Bissau entregou hoje ao Presidente da República, José Mário Vaz o convite para participar na cerimónia de investidura do novo chefe de Estado angolano , eleito no passado dia 23 de Agosto, que terá lugar na próxima terça-feira, dia 26 do mês em curso.
 
A saída do encontro, Daniel António Rosa informou que o convite foi endereçado pelo seu homólogo de Angola José Eduardo dos Santos para estar presente no acto de posse do recém-eleito Presidente angolano, João Lourenço.

Perguntado sobre o ponto de situação da cooperação entre Guiné-Bissau e Angola, o diplomata disse que está numa situação “lenta para não dizer suspensa” devido aos acontecimentos de 2012, mas que estão sempre em contacto com as autoridades nacionais , para , em caso de estabilidade política, retomar os projectos.

“O projecto de exploração de Bauxite é um dos que Angola perspectiva retomar se há estabilidade política no país”, revelou o embaixador de Angola para Guiné-Bissau, Senegal e Gâmbia.

Daniel Rosa disse acreditar que o país vai encontrar solução política e criar condições para que haja um desenvolvimento económico-social, em vez de prolongamento de conflitos, que não ajuda em nada, nas questões que a população espera que sejam resolvidas.
ANG/LPG/ÂC/SG

Nova Iorque



Costa afirma que seria excelente acordo em 2018 sobre liberdade de circulação na CPLP

Bissau, 20 Set 17 (ANG) – O primeiro-ministro português afirmou hoje que seria excelente se a liberdade de circulação na Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) se concretizasse até 2018, ainda na presidência brasileira, defendendo que há vontade política, embora, também, problemas técnicos.
 
António Costa assumiu esta posição na terça-feira à noite, no final de uma reunião de pouco mais de uma hora com chefes de Estado e de Governo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que decorreu na sede da missão permanente do Brasil nas Nações Unidas, sob a presidência de Michel Temer.

Entre os chefes de Estado presentes na reunião esteve o Presidente da Guiné Equatorial, Teodore Obiang. Angola e Moçambique estiveram representados pelos respetivos embaixadores nas Nações Unidas.

Perante os jornalistas, António Costa referiu-se ao estado em que se encontram as negociações na CPLP no que respeita a uma maior liberdade de circulação dos cidadãos entre os diferentes países da comunidade.

O primeiro-ministro português afirmou que “há um acordo de princípio” que “requer um trabalho técnico, já que se exige compatibilização entre diferentes legislações”.

Para muito em breve, segundo António Costa, está marcada uma nova reunião técnica sobre este tema, razão pela qual disse acreditar que se “está a avançar”.

Neste contexto, o primeiro-ministro português salientou que a CPLP “não pode ser só um processo de coordenação política e económica, tendo também de enraizar-se no dia-a-dia dos cidadãos”.

“Para isso, nada melhor do que liberdade de residência, reconhecimento dos títulos académicos ou a portabilidade dos direitos sociais”, completou.

Questionado sobre um calendário para haver uma conclusão no processo político sobre liberdade de circulação, António Costa referiu que o Brasil tem a presidência da CPLP “até setembro de 2018”.

“Acho que se concluíssemos na presidência brasileira seria excelente. Senão Cabo Verde, que assume a presidência da CPLP a seguir, tem dado a este tema uma grande prioridade. Mas há vontade política entre todos e os problemas técnicos deverão ser ultrapassados”, advogou o líder do executivo português.

Nas suas declarações, o primeiro-ministro classificou ainda como “importante que a CPLP continue a coordenar a sua ação nas diferentes plataformas multilaterais”.

E deu um exemplo concreto para justificar a sua posição: “Se hoje temos um secretário-geral das Nações Unidas [António Guterres] de língua portuguesa, deve-se também ao trabalho que todos fizemos em conjunto no ano passado para a sua eleição”.

“Considero que é muito importante que a coordenação política se mantenha. Este encontro também se destinou a fazer o ponto de situação no que respeita à forma como está a ser executada a nova visão estratégica da CPLP. Destacámos igualmente a importância dos oceanos e foi analisada a agenda 2030”, acrescentou.  
ANG/Inforpress/Lusa

Caso RTP e RDP África


“Foram atribuídas ao embaixador da Guiné-Bissau declarações que são inaceitáveis”, diz Ministro dos Negócios Estrangeiros português

Augusto Santos Silva
Bissau,20 Set 17(ANG) - O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, considerou na terça-feira que as declarações do embaixador da Guiné-Bissau sobre a revisão do acordo de transmissão da RTP e RDP são "inaceitáveis"

"Foram atribuídas ao senhor embaixador da Guiné-Bissau declarações que são inaceitáveis. O senhor embaixador já foi chamado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros e teve oportunidade de esclarecer que não foi isso que disse, ou que quis dizer, e, portanto, o incidente está resolvido", disse o ministro em Nova Iorque.

O embaixador da Guiné-Bissau em Lisboa acusou segunda-feira as autoridades de Portugal de "um desprezo quase canino" face à ausência de respostas a propostas para negociar o protocolo de transmissão da RTP e RDP naquele país.

"Houve um desprezo quase canino, permitam-me a expressão. Nós somos um Estado, não somos outra coisa qualquer", disse o embaixador Hélder Vaz, acrescentando que "quando se pretende espezinhar o Estado da Guiné-Bissau e colocar o país na situação de ter de ceder por ser país mais pobre, estamos a afrontar o povo da Guiné-Bissau".

No seguimento destas declarações, o Ministério dos Negócios Estrangeiros chamou  terça-feira o embaixador ao Palácio das Necessidades para prestar esclarecimentos.

"O que o senhor embaixador nos disse foi que, na opinião dele, tinha havido uma deturpação das palavras e que as palavras que lhe tinham sido atribuídas não tinham sido as palavras que tinha proferido, ou pelo menos não era essa a intenção. Portanto, a explicação está dada", disse Augusto Santos Silva.

Para o ministro, "o importante" é que Portugal tem "vários programas de cooperação" com o país e quer "continuar e aprofundar esses programas."

"Um deles diz respeito a área da comunicação social: A Guiné-Bissau fez-nos chegar a sua vontade de rever o protocolo e o Ministério da Cultura, que tem a tutela da comunicação social, já manifestou disponibilidade para analisar esse processo. Evidentemente que há condições para que essa revisão seja efetiva e a condição básica é que as emissões da RTP África e da RDP África sejam repostas", explicou Augusto Santos Silva, que está em Nova Iorque para participar na Assembleia Geral da ONU.  
ANG/LUSA

ONU



 Genebra acolhe encontro sobre violação dos Direitos Humanos relacionadas a   feitiçaria

Bissau, 20 Set 17 (ANG) – A Organização da Nações Unidas (ONU) organiza entre amanhã e sexta-feira, em Genebra, Suíça, um encontro de especialistas em direitos humanos para a procura de soluções dos males ligados a problemática da feitiçaria. 
 
De acordo com o comunicado à que a ANG teve acesso, que cita o “Especialista Independente” sobre direitos humanos de pessoas com albinismo, Ikponwosa Erro (da Nigéria), em muitos países, práticas prejudiciais relacionadas a feitiçaria resultam em “graves” violações dos direitos humanos de milhares de pessoas, nomeadamente torturas, assassinatos, discriminações e expulsões das comunidades.

"Esses ataques e violações, que frequentemente se dirigem a pessoas em situações vulneráveis, incluindo pessoas com albinismo, são surpreendentes pela sua brutalidade", refere o documento.

 De acordo com a ONU, existem lacunas nas leis aplicáveis ​​e desafios com a implementação e execução, e “muitas vezes os perpetradores não são levados à justiça".

 Neste evento de dois dias, participam especialistas da ONU, Estados, académicos e membros da sociedade civil. Realiza-se em parceria com “Witchcraft and Human Rights Network e Lancaster University”, no escritório do Alto-comissário para os Direitos Humanos, na capital suíça.

Na Guiné-Bissau, sobretudo no sul do país (nas regiões de Quinara e Tombali) acontecem casos de tortura e até de mortes de indivíduos de terceira idade acusados de feitiçaria.

Segundo a Associação de Defesa dos Albinos da Guiné-Bissau, muitos associados são alvos de discriminações nas respectivas famílias e comunidades.  
ANG/QC/SG

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Mon Na lama



Presidente da República lamenta situação de abandono de bolanhas na região de Biombo

Bissau, 19 Set 17 (ANG) – O Presidente da República disse hoje que as bolanhas  da região de Biombo, norte do país se deparam com  problemas sérios, uma vez que a maioria delas se encontra num estado de abandono.

José Mário Vaz que falava em declarações aos jornalistas no final da visita que efectuou às bolanhas de Cupul, Zé Henrique, Quisene e de Cupedó, ambos na região de Biombo, disse que todos devem se unir para ultrapassar a situação recuperando as bolanhas para cultivar arroz.

“Biombo perdeu grandes bolanhas e é preciso encontrar recursos para recupera-las. Reafirmo que o futuro da Guiné-Bissau está na agricultura porque sem ela o país não vai para lado algum “disse.

O Chefe de Estado lamentou a situação da bolanha de Cupul uma vez que em 2009 foi recuperada com o seu apoio, tendo lamentado a falta de colaboração da população local que não sabe cuidar do que receberem prometendo contudo voltar a dar a sua ajuda para sua recuperação.

Por seu turno, o ministro da Agricultura e Pecuária, Nicolau dos Santos disse que os lavradores estão tristes por causa das bolanhas estragadas e que o propósito da visita de José Mário Vaz é de, em conjunto, se  encontrar formas de recuperação das referida bolanha.

“O processo vai continuar e agradecemos o esforço do Presidente da República apesar de reconhecer  que quem tem o dever de fazer este trabalho é o meu Ministério, por isso, ter o Chefe de Estado como colaborador é motivo de grande satisfação e os agricultores estão confiantes que vão encontrar solução para as suas bolanhas ”,referiu.

O Governador da região de Biombo, Bobo Gomes Cá agradeceu o Presidente da República por ter disponibilizado o seu tempo para se inteirar “in loco” da situação das bolanhas daquela localidade, salientando que o êxodo dos jovens para a cidade está na origem da morte lenta das bolanhas naquela zona.

“Por isso, apelamos aos jovens a esforçarem e ajudarem os mais velhos na construção de diques, porque haverá apoios por parte das autoridades nacionais. Nós autoridades local vamos fazer um trabalho de sensibilização no seio da camada juvenil para a mudança de mentalidade. Só trabalhando é que podemos ser bons cidadãos amanha”, exortou.
ANG/MSC/ÂC/SG

PAIGC comemora 61 anos



Alguns cidadãos responsabilizam o partido pela actual situação de crise política do país

Bissau,19 Set 17 (ANG) – Alguns cidadãos nacionais responsabilizam  o Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo-Verde (PAIGC) pela actual crise política do país, mas há quem considere que mesmo assim o partido pode mudar essa situação e criar condições para um novo arranque.
 
Ouvidos pela ANG no quadro da comemoração do 61º aniversário da criação desta formação política, o Administrador da Escola Comunitária de Plack 1 Cadjencal Alfredo Bitiba, o Farmacêutico, Samora Candé, a Contabilista Yocatânia da Silva e a estudante Aicha Sanhá afirmaram que o PAIGC é responsável por tudo o que está a acontecer neste momento, devido a sua incapacidade de resolver o seu problema interno.

O Administrador da Escola Comunitário de Plack 1, Cadjencal Alfredo Bitiba assegura que o PAIGC para além da independência política que deu ao povo guineense nada mais fez para desenvolvimento socioeconómico, em comparação com outros países, como Cabo-Verde, por exemplo.

As suas palavras foram reforçadas pelo Farmacêutico Samora Candé que disse que a actual situação é da inteira responsabilidade desta formação, porque não conseguiu encontrar solução, por aquilo que chamou de divergência de ideias, dos problemas transferidas para a Assembleia Nacional Popular (ANP) e que consequentemente determinara o derrube do governo.

Perante esta situação, na sua opinião, o Presidente do PAIGC deve pautar pelo interesse da maioria, neste caso do povo que nesta altura está a sofrer com a crise, apesar de ser o vencedor das eleições de 2014.

Por sua vez, a Contabilista Yocatânia da Silva disse que o PAIGC foi vencedor de várias eleições durante os 23 anos da democracia, mas nunca lhes deram a oportunidade de governar o país. 

Acrescentou que os libertadores são responsáveis pela  actual crise porque os mentores e as partes desavindas são membros e militantes do partido e não querem o bem desta nação.

No mesmo diapasão a estudante Aicha Sanhá disse que os libertadores é um grande partido, mas é o culpado pela actual crise. 

Disse que  espera que esta seja a última de todas as crises, e que o partido nunca teve a oportunidade de concluir o seu mandato.

 Afirma que apesar de a crise ser provocada pelo PAIGC, acredita que o partido vai ganhar as próximas eleições e criar condições para o arranque do país.   

O PAIGC celebra hoje em Gabú, no leste do país o seu 61º aniversário com actividades de caracter política, desportiva e cultural.

Foi a 19 de Setembro de 1956 que Amilcar Lopes Cabral e mais cinco camaradas fundaram, em Bissau, o PAIGC, que volvido sete anos organizou a luta armada que culminou com a indedència du jugo colonial portugues.  
ANG/JD /LPG/ÂC/SG

CEDEAO



              Acra acolhe atelier sobre livre circulação de pessoas e bens

Bissau, 19 Set 17 (ANG)– A comunidade Económica dos Estados da África Ocidental(CEDEAO) promove quinta e sexta-feira em Acra, capital do Gana, um ateliê de reflexão  sobre a livre circulação de veículos de transportes interestados, de pessoas e bens no esco comunitários, refere um comunicado da agencia de informação da Costa do Marfim (AIP).
Vista de memorial de Kwame Nkrumah em Acra

O referido encontro tem como objetivo elaborar e adoptar, ao nível nacional e regional, de modalidades operacionais de mecanismos para pôr cobro as barreiras de que são vítimas os viajantes nos percursos e nas fronteiras, volvidos  mais de 40 anos após a criação da CEDEAO e da adopção do protocolo de  livre circulação.

O ateliê no qual participam delegados de oito países membros pilotos de mecanismos regional, nomeadamente, o Benin, Burquina Faso, a Costa do Marfim, Gana, Mali, Niger, Nigéria e Togo, permitirá aos participantes na reunião de procurarem um consenso sobre o modo de produção e de distribuição para todos os estados membros pilotos, de documentos necessários, tendo em conta a utilidade da integração.
ANG/FAAPA

PRS/V Congresso



     Artur Sanhá promete partido mais evoluído, caso fôr eleito Presidente

Bissau, 19 Set 17 (ANG) – O antigo Primeiro-ministro, Artur Sanhá, afirmou segunda-feira em Bissau que apresentou a sua candidatura ao cargo do Presidente do Partido da Renovação Social  como “contribuição valiosa para a evolução do partido”.

Artur Sanha
Sanhá que fez estas declarações durante a apresentação pública da candidatura, em conferência de imprensa,   afirmou que, com a vitória do projecto “ Aliança de Ressurgimento para Unidade Social”, esta formação política “terá novo rumo e a sua capacidade participativa nacional e internacional irá aumentar significativamente”.

Para isso, este antigo Secretário-geral do PRS elege a “organização”,  considerando-a de “pedra angular” para o partido atingir “todas” as metas propostas na sua acção política.

“ Credibilizar uma estrutura partidária é um trabalho que tem tanto de exigência  como de necessidade. A forma como a sociedade olha estas organizações, ainda que errada, tende a desvalorizar o seu trabalho e a acentuar os defeitos que vê nos partidos políticos”, acrescenta o político.

Face à isto, Artur Sanha fala da “recuperação da imagem pública” das estruturas partidárias através de, nomeadamente,  acções que cimentam a relação de confiança entre os militantes. 

No Congresso do Partido da Renovação Social (PRS), que decorre entre os dias 26 e 29 deste mês com mil e um militantes, concorrem oito candidatos ao cargo do Presidente, incluindo o cessante, Alberto Nambeia.

Para as funções do Secretário-geral disputam-se, Florentino Mendes Pereira que luta pela renovação do mandato e o militante Duarte Quadé.  
FIM/ANG/QC/SG

Lavagem de carro na via pública



           Jovens condenam proibição  da Câmara Municipal de Bissau

Bissau,19 Set 17 (ANG) – Um grupo de jovens lavadores de carro protestou  a decisão  da Câmara Municipal de Bissau que proíbe lavagem de carros em vias pública de Bissau.

Ouvidos hoje pela ANG, Midana Cá, Domingos Amona e Isnaba Bissunha foram unânimes em condenar a posição assumida pelo presidente da Câmara “em proibir alguns jovens e deixar outros a fazerem a referida actividade”.

Domingos Amona informou que a direcção da edilidade proibiu-lhes de lavar carros ao lado do restaurante “samaritana” no Coqueiro, concretamente na vista da Avenida Pansau Na Isna, contudo deixou outros na mesma Avenida a fazer  o mesmo trabalho.

“Nós estamos na mesma Avenida com aqueles jovens que lavam carros na antiga fábrica de espuma e não compreendemos, porque que é que a Câmara não proibiu-lhes”. A Câmara Municipal de Bissau está a ter uma posição parcial na tomada da sua decisão sobre o assunto”, criticou.

 Isnaba Bissunha lamenta a decisão da edilidade e pede que o seu Presidente lhes  indique um espaço onde possam continuar o trabalho para que consigam sustentar os seus estudos e as suas necessidades básicas.

Para Midana Cá, a direcção da Câmara deve apoiar os jovens que se auto- empregaram através desta actividade e não impedi-los de ganhar a vida. 

Os jovens mostraram se desposto a contribuírem em termos de imposto de acordo com espaço ocupado para que a Câmara os deixe  fazer este trabalho.

Enquanto isso, Matcha Isnaba, que opera na antiga fábrica de espuma, alega  que continuam a lavar carros na vista da Avenida de Pansau Na Isna porque cumpriram  as exigências da CMB, vedando o local e adequirindo uma autorização para o efeito. ANG/LPG/ÂC/SG

Política



       Grupo dos 15 dissidentes do PAIGC quer enterrar “machado de guerra”

Rui Diã de Sousa
Bissau,19 Set 17(ANG) - O grupo dos 15 deputados dissidentes do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) defendeu segunda-feira que seja enterrado o `machado de guerra` e que seja iniciado o diálogo para sarar as feridas.

«Nós promovemos este encontro porque sabemos que o nosso partido está a atravessar uma situação extremamente difícil, temos desafios sérios pela frente e é preciso de facto agirmos para salvar o partido», afirmou o deputado Rui Diã de Sousa, que faz parte dos 15 deputados dissidentes do PAIGC.

Rui Diã de Sousa falava à Lusa à margem de um encontro que aquele grupo de deputados organizou no qual se fez uma  reflexão sobre o partido, que celebra terça-feira o seu aniversário. O PAIGC foi criado a 19 de setembro de 1956.

«O objetivo é chamar a atenção dos militantes e dirigentes do PAIGC sobre a gravidade da situação e da necessidade de enterrarmos o machado da guerra», salientou.

O grupo dos 15, coordenado por Braima Camará, que ficou em segundo lugar na corrida à liderança do partido, que foi ganha por Domingos Simões Pereira, entrou em rutura com a direção do PAIGC, tendo-se juntado ao PRS no parlamento para chumbar o programa de Governo do então primeiro-ministro, Carlos Correia.

Carlos Correia substituiu no cargo Domingos Simões Pereira, que foi demitido de funções pelo Presidente guineense.

Na sequência da decisão, o PAIGC expulsou aqueles 15 elementos do partido por alegada infração à disciplina partidária.

«Penso que a manter-se este braço de ferro entre a direção do partido e seus militantes estaríamos a concorrer de forma a prejudicar mais e mais o partido», defendeu Rui Diã de Sousa.

Para Rui Dião de Sousa, a subsistir a crise no partido, o PAIGC pode perder as próximas eleições legislativas, previstas para 2018.

«O que nós queremos mostrar aqui aos participantes é que ninguém sairá bem deste braço de ferro, nem os 15, nem a direção do partido, nem o país. Não podemos dar-nos ao luxo de deixar o partido andar à deriva e depois irmos para a oposição e depois dizermos que é preciso unidade para enfrentar outros partidos que estão no Governo», salientou.


O grupo dos 15 é um dos signatários do Acordo de Conacri, patrocinado pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), prevê a formação de um governo consensual integrado por todos os partidos representados no parlamento e a nomeação de um primeiro-ministro de consenso e da confiança do chefe de Estado, bem como a reintegração daqueles elementos no PAIGC, entre outros pontos.

O atual Governo da Guiné-Bissau, de iniciativa presidencial, não tem o apoio  do PAIGC, que ganhou as eleições com maioria absoluta, e o impasse político tem levado vários países e instituições internacionais a apelarem a um consenso para a aplicação do Acordo de Conacri.  ANG/Lusa

ONU


  
         Debate geral da 72.ª Assembleia-Geral abre com Temer seguido de Trump

Bissau,19 Set 17 (ANG)  – O debate geral anual da 72.ª Assembleia-Geral da ONU começa hoje na sede da organização, em Nova Iorque, com o discurso do Presidente brasileiro, Michel Temer, e que marca a estreia de António Guterres como secretário-geral na assembleia magna da instituição.
 
Na abertura dos trabalhos, o secretário-geral das Nações Unidas, o português António Guterres, irá apresentar um relatório de actividades, o primeiro do seu mandado depois de ter tomado posse, em Janeiro deste ano.

Cumprindo a tradição que reserva ao chefe de Estado do Brasil honras de abertura dos discursos no órgão multilateral, Michel Temer aproveitará a oportunidade para falar da recuperação económica do seu país, que nos últimos meses mostrou sinais positivos, de crescimento, e para sublinhar que tal só foi possível graças às reformas liberais que impôs, com a oposição dos sindicatos e partidos de esquerda.

Por sua vez, Donald Trump não poderá deixar de falar de questões tão prementes como a sobrevivência do acordo nuclear com o Irão e a situação de alta tensão com a Coreia do Norte, bem como da crise na Venezuela, em relação à qual não descartou a hipótese de uma intervenção militar.

Outro dos temas do seu discurso prender-se-á com a melhor forma de gerir as operações de paz da ONU no mundo, uma questão que o levou na segunda-feira a instar quase 130 países a assinarem uma declaração política visando uma reforma da
Organização das Nações Unidas cuja acção, na sua opinião, é há vários anos dificultada pela sua “burocracia”.

Na quarta-feira, às 11:30 locais (14:30 em Cabo Verde), será a vez de o primeiro-ministro português, António Costa, se estrear como orador no debate geral, entre chefes de Estado e de Governo, com um discurso centrado nos valores do desenvolvimento sustentável e da defesa do ambiente.

Subordinado ao tema “Concentrando-nos nas Pessoas – Lutar pela Paz e por uma Vida Decente para Todos num Planeta Sustentável”, o debate geral decorrerá até 25 de Setembro, nesta 72.ª sessão da Assembleia-Geral presidida por Miroslav Lajčák, ministro dos Negócios Estrangeiros e Assuntos Europeus da Eslováquia.

Imediatamente antes da abertura do debate geral, às 09:00 locais (12:00 em Cabo Verde), caberá ao secretário-geral da ONU, António Guterres, apresentar o seu relatório anual, apesar de ainda não ocupar o cargo há um ano.  
ANG/Lusa